O Projeto Mapear divulga nesta sexta-feira, 18 de Maio de 2012, relatório com o mapeamento de pontos vulneráveis à exploração sexual contra crianças e adolescentes nas rodovias federais brasileiras. O mapeamento é realizado pela Polícia Rodoviária Federal - PRF em parceria com a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República - SDH/PR, Organização Internacional do Trabalho – OIT e a ONG Childhood Brasil, com o objetivo de subsidiar a criação de medidas para o enfrentamento da exploração sexual de crianças e adolescentes, identificando focos do problema.



O Projeto tornou-se, nos últimos anos, uma referência para definição de medidas e ações para o enfrentamento deste tipo de crime.

O estudo é um levantamento de dados para diagnóstico da situação da exploração sexual de crianças e adolescentes nas estradas brasileiras, que permite a alimentação e o cruzamento de dados entre a Polícia Rodoviária Federal e a SDH, favorecendo a criação e utilização de medidas preventivas direcionadas para a raiz do problema da violência sexual contra meninos e meninas nas rodovias. O mapeamento tem como foco de análise os pontos vulneráveis à prática deste tipo de violência. Esses pontos, identificados por agentes da PRF, são, de modo geral, ambientes propensos à prática do crime e têm como características: pouca iluminação, presença de adultos em situação de prostituição, falta de vigilância privada, aglomeração de veículos em trânsito, consumo de bebida alcoólica, entre outras. No mapeamento, tais características indicam vulnerabilidade ou suscetibilidade à exploração sexual de crianças e adolescentes.

Segundo dados do Mapear, nos últimos oito anos a PRF resgatou mais de três mil crianças e adolescentes em situação de risco de violência sexual nas rodovias federais. Boa parte deste resultado se deve a ações policiais decorrentes do cruzamento de dados e mapeamento de pontos vulneráveis. No ano de 2012, com a atualização do mapeamento, foram registrados 1776 pontos. De modo geral é possível afirmar que nesse período houve uma redução no número de pontos considerados vulneráveis à exploração no Brasil. Os estados com resultados de queda mais expressivos foram Pernambuco (-77%), São Paulo (-73%) e Rondônia/Acre (-55,8%).

Segundo Joseleno dos Santos, Coordenador Geral de Enfrentamento da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes da SDH, o Projeto Mapear tem sido de grande utilidade para organizar as ações de enfrentamento a este tipo de crime: “esse levantamento, conhecido como Mapear, tem se constituído, junto com  a base de dados do Disque Direitos Humanos - Disque 100, em ferramenta estratégica para a gestão das políticas públicas de enfrentamento dessa grave violação dos direitos da infância e adolescência no Brasil. Através dessas informações, os gestores governamentais e a sociedade civil organizada podem identificar cenários e organizar ações, tanto no sentido de proteger crianças e adolescentes vítimas da violência sexual, quanto para responsabilizar seus agressores”, disse ele.

O documento será lançado às 10h15 da manhã em Brasília e fará parte da programação em comemoração ao dia 18 de Maio, Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes.